Blog da Redação do UOL Entretenimento

Categoria : Outros

Grupo leva faixa contra a redução da maioridade penal para Virada
Comentários 4

UOL Entretenimento

Depois do show engajado de Emicida, em que ele discursou contra ódio religioso, preconceito racial e a favor das mulheres, o grupo Juventude às Ruas estendeu uma imensa faixa contra a redução da maioridade penal ao lado do palco Júlio Prestes.

“A intenção era que fosse para o show do Caetano, mas que bom que combinou com o show do Emicida”, disse Guilherme Kranz, um dos participantes do movimento.

Com os dizeres, “O Haiti é aqui”, a faixa podia ser vista por quase todo o público que esperava o show do Caetano começar. “Queremos disputar a atenção das pessoas já que a redução da maioridade penal representa um retrocesso que afeta principalmente os jovens da periferia e os negros”.


De branco, Emicida faz protesto contra intolerância religiosa na Virada
Comentários COMENTE

UOL Entretenimento

Emicida subiu ao palco de branco na Virada Cultural. Foto: Francisco Cepeda/AGNews

Emicida subiu ao palco de branco na Virada Cultural. (Foto: Francisco Cepeda/AGNews)

O rapper Emicida abriu seu show no palco Julio Prestes, na Virada Cultural, com uma mensagem contra a intolerância religiosa.

Ele havia convocado o público para ir de branco ao show, mas foi atendido apenas por apenas alguns fãs.

“Não viemos de branco à toa. Viemos de branco porque uma menina tomou uma pedrada ao sair de um culto de candomblé. Nós viemos de branco porque tem gente que, para falar de jovem, fala mais de cadeia do que de escola”, disse Emicida, acompanhado pelos músicos de branco.

Antes do início do show, candomblecistas se uniram em frente à Estação da Luz, no centro de São Paulo, para uma caminhada contra o ódio religioso.

Promovido pelo grupo As Águas de São Paulo, a manifestação recebeu o apoio do rapper Emicida.

“Esse é um movimento, mas não é o único. Tem que ter manifestação toda semana”, diz Felipe Brito, um dos organizadores da manifestação. “Iremos ao Ministério Público para o governo saber que estamos protestando contra a violência”.

Todos vestidos de branco, os manifestantes gritaram “mais respeito”, “menos intolerância religiosa” e “viva a liberdade” durante a passeata.

Na semana passada, uma menina de 11 anos foi ferida com uma pedra na cabeça enquanto deixava um culto de candomblé no Rio de Janeiro.

Caminhada contra intolerância religiosa


Com Vanusa doente, Martinha faz bailão da “velha guarda” no palco São João
Comentários 2

UOL Entretenimento

Martinha se apresenta no palco São João durante a Virada Cultural

Martinha se apresenta no palco São João durante a Virada Cultural

O palco São João da Virada Cultural agitou a geração dos 1960 com hits da Jovem Guarda. Com baixa movimentação no centro, no início da tarde deste domingo (21), fãs reviveram os hits dos anos 60 na voz de Martinha. Anunciada para dividir o palco com a cantora, Vanusa ficou doente e não compareceu.

De vestido preto curto, Martinha se encarregou dos sucessos “Estúpido Cupido” e “Devolva-me” para embalar os mais velhos – que eram a esmagadora maioria no palco. Valdemir Marcelo, 53, estava animado com a possibilidade de assistir pela primeira vez ao grupo Golden Boys. “De resto, eu já assisti a todos naquela época”. Ao som de Martinha, ele cantava e batia o pé ensaiando uns passos. “Não dá”, disse, rindo. “Tem a osteoporose”.

Kátia de Souza, 61, e Luis Donizete, 57, foram ao show de Erasmo Carlos na Virada

Kátia de Souza, 61, e Luis Donizete, 57, foram curtir o show de Erasmo Carlos na Virada Cultural de 2015

A idade chegou, mas a animação não desapareceu no casal Kátia de Souza, 61, e Luis Donizete, 57. Animados, com os braços pro alto e cantando cada estrofe de “Pobre Menina”. Os filhos, da faixa dos 20 e 30 anos, público majoritário da Virada, na noite de sábado, foram viajar para outra cidade e o casal aproveitou o domingo de sol para assistir ao show de Erasmo Carlos, às 10h. “A Jovem Guarda está muito viva. Nunca me esqueci daquela época”, observa Kátia. Luis pondera: “A voz deles podem ter ido embora, é normal, mas o que vale é a animação”

Confira a cobertura completa da Virada Cultural 2015

Tiago Dias


Palco Princesa Isabel vira festival de rock com musical do Charlie Brown Jr
Comentários COMENTE

UOL Entretenimento

 

Apresentação do musical "Dias de Luta, Dias de Glória", no palco Princesa Isabel, na Virada Cultural 2015

Apresentação do musical “Dias de Luta, Dias de Glória”, no palco Princesa Isabel, na Virada Cultural 2015

A apresentação do musical “Dias de Luta, Dias de Glória”, que conta a história da banda santista Charlie Brown Jr., no palco Palco Princesa Isabel atraiu uma das maiores plateias da Virada Cultural, no início da noite deste domingo (21).

O público era formado principalmente por jovens e fãs do grupo, cujos fundadores Chorão e Champignon morreram em 2013,  que curtiram cada canção como se fosse a banda ao vivo.

Coreografias, uma pista de skate e o cantor DZ6, que interpreta Chorão no espetáculo, fizeram o público lembrar com nostalgia da banda. Ao final do musical, o elenco deixou o palco aos gritos de “Charlie Brown”.
Musical sobre Chorão transforma palco Princesa Isabel em show de rock

Veja Álbum de fotos

Acompanhe a cobertura complea da Virada Cultural 2015

Felipe Branco Cruz


Entre food trucks e barracas, comida na Virada tem preços bem distintos
Comentários 1

UOL Entretenimento

20.jun.2015 – Galinhada de Alex Atala chega a custar R$ 30 (500 g), na praça Roosevelt

Quem vai à Virada Cultural, encontra preços bem distintos nas barraquinhas e food trucks, dependendo do palco escolhido.

Na praça da República, o clima é de festa junina, com diversas barraquinhas de comidas típicas.

Entre as guloseimas juninas, o público tem opções acessíveis como milho (R$ 5), porção de doces típicos com doce de leite, cocada e doce de abóbora (R$ 3,50 a 100g), pastel de queijo (R$ 5), pamonha (R$ 6), bolinho de bacalhau (R$ 6).

Já no palco Júlio Prestes, a cultura gourmet dos food trucks encareceu as comidas.

O público pode experimentar suco verde funcional (R$ 10) e chá orgânico de hibisco gelado (500 ml – R$ 10). Quem preferir cerveja, o latão de Skol sai pelo mesmo preço, R$ 10.

Para comer, há um bauru especial na ciabatta por R$ 15 e hambúrguer bovino com queijo e bacon, por R$ 20.

Preços em barraca de comida japonesa. (Foto: Felipe Abílio/UOL)

Para quem gosta de comida japonesa, há opções como temaki de salmão por R$ 17 e promoção de dois temakis por R$ 30.

Mas a maior atração “gourmet” da Virada é a galinhada do chef Alex Atala, por R$ 30 (500g) e R$ 15 na versão menor (200 g), no Galinhódromo, da Praça Roosevelt.


Virada 2015 começa com trânsito e metrô tranquilos
Comentários 1

UOL Entretenimento

Metrô está com movimento tranquilo para o público que vai para Virada

Metrô está com movimento tranquilo para o público que vai para Virada

A Virada Cultural 2015 começou às 18h deste sábado (20) com tranquilidade. A reportagem do UOL circulou pelos palcos do Arouche, São João e Praça Roosevelt e registrou o movimento de poucas pessoas pela região.

O metrô, que teve o aumento de fluxo a partir das 17h, também mantém normalidade até o momento.

Em clima familiar, o público que acompanha o show da banda Monobloco, tem espaço para dançar tranquilamente.

O casal Alex e Keila levou a filha Michaela para o show do MonoblocoO casal Keila e Alex Mendes levaram a filha Michaela de 10 meses para curtir a Virada. “A gente mora perto. Viemos porque gostamos muito de Monobloco. Ela (a bebê) está curtindo também”, diz Keila.

A banda carioca deu início a programação do palco Júlio Prestes que recebe nesta noite Daniela Mercury (21h), Lenine (23h59) e Fabio Jr (3h).

Acompanhe a cobertura completa da Virada Cultural 2015

10362


Foto de Thom Yorke é usada em livro que ajuda homens com problemas sexuais
Comentários COMENTE

UOL Entretenimento

Thom Yorke na capa do livro iraniano "Problemas Conjugais e Sexuais nos Homens"

Thom Yorke na capa do livro iraniano “Problemas Conjugais e Sexuais nos Homens”

Thom Yorke, vocalista do Radiohead, está ajudando iranianos que sofrem com problemas sexuais. Uma imagem de divulgação do vocalista está sendo usada sem autorização na capa do livro “Problemas Conjugais e Sexuais nos Homens”, editado no país do Oriente Médio.

O usuário do Twitter @Mehr_DaD afirma ter descoberto a curiosidade há cerca de três anos, quando estava garimpando a livraria do tio na cidade de  Mashhad, no Irã.

Ao lado de Yorke, que aparece com sua clássica feição de olhos tristes, que supostamente sugeririam que sua vida pessoal não anda lá muito bem, estão dois homens não identificados.

Um deles, na parte inferior da capa, é muito parecido com o escritor americano John Updike (1932-2009), autor da série “Rabbit”.

O livro está à venda e pode ser adquirido neste site, por 14.000 riais, cerca de R$ 2,15. Não há informação de autor, apenas de editores e do tradutor da obra.

E se a moda pega no Brasil?


A menina de “O Chamado” cresceu. E virou um mulherão!
Comentários COMENTE

UOL Entretenimento

ring

A atriz Daveigh Chase em “O Chamado” (2002) e, ao lado e à vontade, de biquini no Instagram

Ela provocou calafrios generalizados na pele da menina Samara Morgan de “O Chamado”, um fantasma que saia de dentro da televisão sempre que alguém colocava uma misteriosa fita VHS no videocassete.

Hoje, 13 anos depois, a atriz Daveigh Chase suscita, digamos, outros tipos de sentimentos. Aos 24, ela virou um baita mulherão. É só espiar o Instagram da musa, que desde então não parou de atuar em vários filmes e séries.

Foi, por exemplo, a protagonista do drama “S. Darko – Um Conto de Donnie Darko” (2009), além de dar voz à menina Lilo Pelaka na série de animação “Lilo & Stitch”.

Este ano, será a protagonista de mais um filme, “Obsessed on Campus”, novo suspense do diretor Anthony Lefresne, no papel de uma adolescente que se envolve em um escândalo sexual na escola.

Aguardemos os próximos trabalhos.

cha3 cha2 tosa2 cha1 tosa1

 


Maroon 5 realiza sonho de fã com síndrome de Down
Comentários COMENTE

UOL Entretenimento

Adam Levine e James Valentine se deitam para junto de fã com Síndrome de Down que teve ataque

A banda pop Maroon 5 voltou ao noticiário esta semana, e por um motivo nobre. Graças à foto acima, publicadada no Twitter pelo radialista americano Kane, do “Kane Show”.

A imagem flagra exato instante em que o garoto Christopher Warner, de dez anos, conheceu os integrantes do grupo no backstage de um show, nesta segunda (2), em Washington, D.C.

Fanático pelo Maroon 5, ele simplesmente não soube o que fazer quando deu de cara com o vocalista Adam Levine. No calor do momento, acabou tendo um ataque de pânico e se jogando no chão.

Mostrando simpatia, a banda não teve dúvidas: acompanhou o garoto e também se deitou.

Morador de Marriottsville, em Maryland, Christopher chamou a atenção de Kane nas últimas semanas na internet, com um vídeo em que se  declara o “fã número 1″ do Maroon 5. Clique aqui e assista.

Tocado pela dedicação do garoto, que canta, desenha e demonstra todo o seu amor pelo grupo californiano, o radialista intermediou o contato com Adam Levine, que prontamente convidou Christopher para o show.

Além de conhecer os ídolos, ele ainda ganhou de presente CD, camiseta, pôster, autógrafo e as baquetas do baterista Matt Flynn.

garo


Erykah Badu canta a troco de esmola nas ruas de NY
Comentários COMENTE

UOL Entretenimento

E se uma artista famosa resolvesse ir para as ruas de Nova York para cantar anonimamente a troco de algumas moedas?

Foi exatamente isso o que vez a cantora soul Erykah Badu, na sua chamada “Street Hustler Experiment” algo como “Experiência como Trabalhadora de Rua”.

A cantora texaa, que também é atriz e ativista, faz um improviso de cerca de minutos, cantando versos como “Eu preciso de dinheiro”. Ninguém a reconheceu.

Após cinco minutos, conseguiu arrecadar US$ 3,60.

Olhe para todo esse dinheiro“, diz no vídeo. “Se você tem  iniciativa, você pode ganhar dinheiro.

O vídeo foi postado pelo site “Okayplayer” no YouTube.